A Social Media tem (terá) uma unidade?

15 06 2009

Olá pessoal, tudo joia?

Nos últimos meses temos conhecido, percebido e vivenciado a relevância da comunicação online (tanto pessoal como corporativa) como um todo e especial através das midias sociais.  O que se vê em eventos que falam a respeito, sejam nacionais como o Social Media Brasil ou regionais como o Agora – é que as pessoas ainda estão em processo de adaptação a esta nova realidade.

SM

Ainda não encontra-se uma unidade nem um processo básico em relação à este conteúdo. Este foi um dos fatores que, por exemplo, no caso do Social Media Brasil, tiveram palestras heterogêneas – desde palestras do tipo #comofaz à palestras mais elaboradas, onde  pressupunha que o conteúdo básico já estava assimilado.  Era por este motivo também, que era nítido que alguns palestrantes mostravam certa dificuldade em apresentar o conteudo e lidar com o público, que mesmo tendo diversas pessoas em diferentes partes do processo de conhecimento e uso dessa nova ferramenta, exigiam alta qualidade e conteúdo nestas palestras.

A forma mais comum foi naturalmente a apresentação de cases próprios ou de terceiros. Até aí tudo bem,porém a maneira de se apresentar isso que foi o diferencial entre as palestras. Enquanto uns usavam e abusavam do jabá próprio  – algo que foi fortemente rebatido pelas twittadas dos participantes e que o case Doritos foi, na minha opinião o hours concours dessa modalidade – ou ainda reproduziam conteúdo de outras palestras já realizadas por eles (e facilmente encontradas na internet).

Uma das palestras que mostrou,de fato (e espontaneamente) como funciona este movimento de midias sociais , foi durante a apresentação de Ian Black – Conceituando e criando estratégias . Numa de suas exemplificações de estratégias em Social Media – falando sobre o evento Claro que é Rock, evento este que se mostrava como algo criado e construído pelas pessoas que vivem, curtem, trabalham com música – definindo desde bandas, locais, alimentação e tudo mais.

Dissemos se mostrava, pois nesta mesma palestra, uma pessoa da plateia gritou um “MENTIRA!” que impressionou muita gente. E foi este grito que gerou um inicio de uma conversa com as pessoas do evento, onde o motivo dessa reclamação, como funcionou de fato, várias twittadas e muito buzz – em relação à ação da garota que fez isso, em relação à empresa, e tudo que estava envolvido a isto.

Esta ação resume o que as redes sociais vieram: promover  conversas, trocas de experiências, de vivências, entre pessoas,  que se comunicam e relacionam através de várias plataformas, sendo a plataforma-base a Tecnologia (Internet). Se por acaso a pessoa ou a empresa, tenta (com ou sem jeitinho) modificar, burlar, este processo (com falta de transparência, ética, e contra os movimentos e peculariedades culturais e sociais de cada grupo), está fadada ao fracasso.

Procurando Criar uma Nova Susan Boyle? #FAIL

Procurando Criar uma Nova Susan Boyle? #FAIL

[Isto inclui, óbvio e também as modinhas forçadas online como criar um “viralzinho”, criar perfis e mais perfis nessas redes e sem promover o diálogo básico]

Esta análise retoma, de certa forma, ao que comentamos a respeito da banalização da internet. Quem está com a palavra agora são as pessoas, falam, gritam, boicotam, editam, defendem e criticam tudo o que está sendo apresentado por estas plataformas e dentro destas interações.

De toda forma, eventos como este ajudam muito a discutir, fomentar e modelar este novo movimento.

Aproveitando o assunto, neste exato momento está acontecendo o Media Connections em Sampa, onde um dos palestrantes – Osvaldo Barbosa Oliveira – da Microsoft apresentou as 10 tendências das Influências de Marketing Social (by twittadas do @GFortes – da Espalhe),vale a pena conferir:

  1. Crescimento do uso de mídias sociais fará crescer conversas relacionadas a marca
  2. O foco muda para os influenciadores
  3. Construção de marca top-down vai ficar mais impotente
  4. Publicidade em mídia social irá amadurecer
  5. A malha social será estendida e impulsionará a inovação em marketing – conexão das diferentes redes
  6. Não apenas amigos, mas TB “pseudo amigos” serão relevantes “meet my 5.000 new best pals”
  7. Pesquisa da influência social vai ser + importante do que a mensuração do social. conhece o twendz?
  8. A função do mkt será reorganizada
  9. A intranet irá de encontro a web “tendencia muito corajosa”
  10. Seu ceo estará na mídia social como o Obama.

#MediaConnections Oswaldo: saiba mais no www.razorfish.com

Abraços e afagos





Empresas de tecnologia com pensamentos primatas (em pleno século 21)

27 05 2009

Pois é, depois de horas procurando conteúdo para o último post, nos deparamos com uma mensagem de Twitter do @crisdias com um link que deixou muita gente com o queixo, o mouse, o computador inteiro caído no chão.

Isso porque o site MacMaganize( voltado para noticias, artigos e informações sobre Apple, tecnologia, internet, informática e afins,) informa em seu post que recebeu uma notificação extrajudicial do escritório de advocacia da Dell Computers no Brasil – bem naquele estilo nome-grande-para-impor-respeito – INTIMANDO o responsável do blog a Excluir (veja bem excluir e não corrigir) um post feito em 3 de março de 2008.

O motivo – esta foto:

dell ro

Caro leitor, você não está ficando louco, nem coisa do tipo. O motivo da ação extrajudicial é SIM por conta desta foto, colocada num post onde o autor do blog apresenta de forma humorada, a alusão e o uso da logo da Dell em uma loja de presentes de Porto Velho  e que estaria em liquidação para fechar as suas portas. APENAS ISSO.

Você ainda está duvidando?

Veja então como este adorável escritório de advocacia, em nome da “moderna” empresa de Computadores justifica a ação com os dizeres:

Processo DELL

Como diz o Carlos Cardoso no seu blog, não sabemos o que é pior: chamar os seus consumidores de IDIOTAS por pensarem que vamos Acreditar que a tal Dell Store de Porto Velho tem relação direta com a “moderna e atual” empresa de computadores, ou o escritório e a empresa terem a capacidade de enviarem esta ação e ainda pagarem R$159,20 para essa papelada repleta de carimbo de cartório – para um papel que tem um objetivo tão ridiculo assim.

Sinceramente, a DELL e o escritório pensam que estamos em que século? Por acaso eles pegaram a máquina do filme De Volta para o Futuro e resolveu engatar ré?

O intuito deste blog não é expressar totalmente a opinião pessoal da responsável do blog, pois como informamos, este site é para diálogos. Mas casos assim, não tem como não expressar descontentamento a respeito.

Abraços e afagos