iPhone x Blackberry – Qual escolher?

22 06 2009

Olá pessoal tudo jóia?

Bem resolvemos escrever este post de Tecnologia mais no intuito de buscar novas e melhores respostas do que propriamente apresentar uma opinião.

Não é raro comentarem do iPhone e do Blackberry no twitter (o 1º é mais comentado afinal estamos falando da Apple), inclusive acabamos de fazer uma busca na própria ferramenta com os dois tipos de telefones (se é que podemos chamá-los assim) e veja o que aparece:

Twitter Search com termos iPhone x Blackberry

Twitter Search com termos iPhone x Blackberry

A não ser que o nosso inglês  esteja muito ruim, quem apresentou mais reclamações nesta primeira triagem foi o iPhone. Mas esta questão não vai apenas em pesquisas feitas no twitter.

Semana passada, um personagem ilário (@christianpior – já aviso que é fake, mas de bom conteúdo) desta ferramenta fez a pergunta deste post e obteve várias respostas (a maioria em apoio ao iPhone).

Porém, teve uma resposta que resume muito bem como acreditamos que deve ser o foco da pesquisa foi a do Cardoso (responsável pelos blogs meiobit e Contraditorium ):

cardoso

Sabe o que é uma resposta ficar na sua cabeça durante dias? Pois bem, a resposta do Cardoso fez isso. Ele conseguiu resumir em menos de 140 caracteres qual a função principal e para quem deve servir cada aparelho.

iphone2

Se você quer um telefone multi-uso, onde você encontra ” um telefone revolucionário, iPod widescreen e um avançado dispositivo de Internet com recursos sofisticados de e-mail e navegação” (palavras da Apple 😉 )

BB

Agora se você precisa de um smartphone composto por diversos serviços de dados e comunicação como “E-mail, telefone, mapas, organizador, aplicativos, jogos, Internet e muito mais. Alguns smartphones incluem até multi-media player e/ou câmera .” (palavras da Blacberry 😉 )

O problema é saber de fato o que usamos mais hoje (midia ou conteúdo) e o que propomos a usar brevemente. Afinal hoje podemos criar mais conteúdo (blog, twitter, emails e afins) mas realmente não sabemos se caso  tenhamos uma ferramenta de midia em mãos se isso poderia mudar drasticamente.

E pelo pouco que foi pesquisado, o BB tem um apelo mais corporativo, e mais fácil de usar, e o iPhone é o telefone moderno, multimidia, mas que atualmente tem aspectos limitados (dizemque com o novo 3G isso muda, vai saber) e que muitos aplicativos ainda são pagos e caros.

Como o intuito deste blog é promover o diálogo, a discussão, uma conversa mais interativa, deixo vocês com um vídeo que faz este tipo de comparativo (em inglês, porém de fácil entendimento e didática) e também aguardo seus comentários a respeito desta dúvida atual e cruel!rsrsrs

Abraços e afagos

Anúncios




O trabalho em novos tempos

4 06 2009

Olá pessoal, tudo joia?

Apesar da correria para arrumar a mala e ir para Sampa no Social Media Brasil (evento sobre midias sociais com vários paineis e palestras nos dias 05 e 06 de junho), não podia deixar de postar aqui o que pode ser meu último post da semana direto de Uberlândia.

Como o assunto é do dia é sobre Carreira, resolvi pesquisar algum assunto a respeito e que levasse também a fazer uma relação direta com o fato da minha ida  à um evento voltado para o meu profissional. Assim eu achei uma entrevista da revista Você S.A com o filósofo Mário Sergio Cortella – quase certeza que ele já fez um quadro no Fantástico – a respeito do Trabalho em Novos Tempos. Ele estava em divulgação do seu novo livro Qual É a Tua Obra? – Inquietações Propositivas sobre Gestão, Liderança e Ética (Ed. Vozes) e,

Capa do Livro

Capa do Livro

nesta entrevista ele mostra de forma simples como deve ser encarado o trabalho neste mundo tão fulgás, rápido e em constante mudanças. E isso foi equivalente as coisas que busco atualmente e em especial com o curso em questão.

Para começar ele define a posição do profissional neste momento de mudanças e que eu, particulamente, assino embaixo: “O que mais garante uma presença efetiva e de melhor qualidade no futuro próximo é abrir a mente para novos ensinamentos”. Isso porque a partir de agora, busca-se  um autonomia no trabalho, ou seja, o profissional deve ser capaz de decidir por si próprio, dentro da liberdade individual de cada um (leia-se: SEM atropelar os outros). E só se consegue esta autonomia, na minha singela opinião, buscando novos ensinamentos – posi são eles que proporcionarão segurança e confiança para estas atitudes autônomas.

Já nesta primeira observação, a autonomia no trabalho, proporciona uma nova forma de enxergar o trabalho, a carreira e também o emprego. Afinal, agora as decisões não devem ser mais impostas ou solicitadas por outros – o que seria mais fácil e confortável – elas devem ser apresentadas por nós. E isso muitas vezes gera o medo, que é outro ponto destacado nesta entrevista. O medo pelo novo não deve ser, segundo o filósofo, visto como algo que trava esta busca e este conhecimento.  Pelo contrário, o medo deve ser o sinal de alerta que proporcionará a motivação básica para a busca (de forma pro-ativa) dessas soluções e desses ensinamentos.

Voltando para análise pessoal, ao longo deste ano percebi que a área de Internet e de mídi digital, social (e afins) estava se tornando uma área que iria além do interesse por lazer ou hobby. Verifiquei uma possibilidade  real de conhecer mais a respeito e buscar profissionalizar este aspecto, pois ele traria a oportunidade de atuar de uma nova maneira em áreas comunicativas como áudio e vídeo e que sempre estiveram na minha lista de desejos e maiores interesses.

Do momento que eu vivenciei esta nova área de interesse, passando pelo momento de verificar esta possibilidade até o fato de buscar profissionalização da mesma forma saltos distintos e não tão simples de dar. Afinal, eu poderia muito bem continuar do jeito que estava, na minha zona profissional de conforto e apenas buscar ser melhor naquilo que eu já fazia, o que seria bem mais prático e fácil (e sem tensões e afins).

É aquele negócio, o passo desconhecido, não importa para onde ele seja dado, dá medo sim. Mesmo assim, resolvi “colocar a cara para bater”, acredito muito que com esta nova área de interesse se aperfeiçoando e se profissionalizando(indo a cursos como este), posso oferecer muito mais no meu trabalho (onde eu estiver), sem contar no  impulso e na autonomia que isso proporciona na minha carreira, pois estes ensinamentos me darão constantemente maior segurança nos próximos passo, nas próximas decisões.

Como sabem, não costumo apresentar análises pessoais e particulares dos assuntos, por acreditar que este blog não é tem o objetivo de ser um monólogo mas sim vários diálos. Porém, esta reflexão pessoal é porque acredito que várias histórias se repetem em contextos diversos. E não custa dividir uma experiência para auxiliar (de alguma forma, mesmo que seja em reflexões) outras?

Abraços e afagos,

Até a próxima.