Palácio do Planalto na blogosfera tupiniquim.

6 07 2009

Olá pessoal, tudo joia?

Depois do boom que a campanha de Internet de Barack Obama provocou nas últimas eleições americanas, a consequência básica disso é que esta estratégia se proliferasse por todo o mundo, inclusive no Brasil.

lula-e-barak-obama2

Enquanto não sabemos como será o uso da Internet nas próximas eleições de 2010, a Presidência da República não quis ficar de fora e já está criando maneiras mais interativas (para não dizer online) de criar um elo entre o presidente Lula e o povo brasileiro. Especula-se que o presidente crie perfis em redes sociais como Twitter, Orkut, e afins.

Um moderno presidente

Um moderno presidente

A única ferramenta confirmada é o Blog do Planalto, que deve estrear ainda este mês. Porém, para que não se dê tiro no escuro e acerte lugar nenhum, a equipe do site resolveu ir até os usuários brasileiros para saber quais ferramentas online mais eficazes de comunicação.

Para tanto, desde o último dia 29 de junho até o próximo dia 7 de julho está disponível um questionário online, onde o usuário – sem se identificar – responde perguntas referentes desde a presença em redes sociais, passando por necessidade (ou não) de abri comentários até quais os plug-ins no WordPress o tal Blog deverá ter.

Quer participar? Responda o questionário clicando aqui.

Beijos e afagos





A Social Media tem (terá) uma unidade?

15 06 2009

Olá pessoal, tudo joia?

Nos últimos meses temos conhecido, percebido e vivenciado a relevância da comunicação online (tanto pessoal como corporativa) como um todo e especial através das midias sociais.  O que se vê em eventos que falam a respeito, sejam nacionais como o Social Media Brasil ou regionais como o Agora – é que as pessoas ainda estão em processo de adaptação a esta nova realidade.

SM

Ainda não encontra-se uma unidade nem um processo básico em relação à este conteúdo. Este foi um dos fatores que, por exemplo, no caso do Social Media Brasil, tiveram palestras heterogêneas – desde palestras do tipo #comofaz à palestras mais elaboradas, onde  pressupunha que o conteúdo básico já estava assimilado.  Era por este motivo também, que era nítido que alguns palestrantes mostravam certa dificuldade em apresentar o conteudo e lidar com o público, que mesmo tendo diversas pessoas em diferentes partes do processo de conhecimento e uso dessa nova ferramenta, exigiam alta qualidade e conteúdo nestas palestras.

A forma mais comum foi naturalmente a apresentação de cases próprios ou de terceiros. Até aí tudo bem,porém a maneira de se apresentar isso que foi o diferencial entre as palestras. Enquanto uns usavam e abusavam do jabá próprio  – algo que foi fortemente rebatido pelas twittadas dos participantes e que o case Doritos foi, na minha opinião o hours concours dessa modalidade – ou ainda reproduziam conteúdo de outras palestras já realizadas por eles (e facilmente encontradas na internet).

Uma das palestras que mostrou,de fato (e espontaneamente) como funciona este movimento de midias sociais , foi durante a apresentação de Ian Black – Conceituando e criando estratégias . Numa de suas exemplificações de estratégias em Social Media – falando sobre o evento Claro que é Rock, evento este que se mostrava como algo criado e construído pelas pessoas que vivem, curtem, trabalham com música – definindo desde bandas, locais, alimentação e tudo mais.

Dissemos se mostrava, pois nesta mesma palestra, uma pessoa da plateia gritou um “MENTIRA!” que impressionou muita gente. E foi este grito que gerou um inicio de uma conversa com as pessoas do evento, onde o motivo dessa reclamação, como funcionou de fato, várias twittadas e muito buzz – em relação à ação da garota que fez isso, em relação à empresa, e tudo que estava envolvido a isto.

Esta ação resume o que as redes sociais vieram: promover  conversas, trocas de experiências, de vivências, entre pessoas,  que se comunicam e relacionam através de várias plataformas, sendo a plataforma-base a Tecnologia (Internet). Se por acaso a pessoa ou a empresa, tenta (com ou sem jeitinho) modificar, burlar, este processo (com falta de transparência, ética, e contra os movimentos e peculariedades culturais e sociais de cada grupo), está fadada ao fracasso.

Procurando Criar uma Nova Susan Boyle? #FAIL

Procurando Criar uma Nova Susan Boyle? #FAIL

[Isto inclui, óbvio e também as modinhas forçadas online como criar um “viralzinho”, criar perfis e mais perfis nessas redes e sem promover o diálogo básico]

Esta análise retoma, de certa forma, ao que comentamos a respeito da banalização da internet. Quem está com a palavra agora são as pessoas, falam, gritam, boicotam, editam, defendem e criticam tudo o que está sendo apresentado por estas plataformas e dentro destas interações.

De toda forma, eventos como este ajudam muito a discutir, fomentar e modelar este novo movimento.

Aproveitando o assunto, neste exato momento está acontecendo o Media Connections em Sampa, onde um dos palestrantes – Osvaldo Barbosa Oliveira – da Microsoft apresentou as 10 tendências das Influências de Marketing Social (by twittadas do @GFortes – da Espalhe),vale a pena conferir:

  1. Crescimento do uso de mídias sociais fará crescer conversas relacionadas a marca
  2. O foco muda para os influenciadores
  3. Construção de marca top-down vai ficar mais impotente
  4. Publicidade em mídia social irá amadurecer
  5. A malha social será estendida e impulsionará a inovação em marketing – conexão das diferentes redes
  6. Não apenas amigos, mas TB “pseudo amigos” serão relevantes “meet my 5.000 new best pals”
  7. Pesquisa da influência social vai ser + importante do que a mensuração do social. conhece o twendz?
  8. A função do mkt será reorganizada
  9. A intranet irá de encontro a web “tendencia muito corajosa”
  10. Seu ceo estará na mídia social como o Obama.

#MediaConnections Oswaldo: saiba mais no www.razorfish.com

Abraços e afagos





Afinal por quem é feito o Twitter no Brasil?

3 06 2009

Olá pessoal, tudo jóia?

Esta semana foi divulgada o resultado do primeiro censo sobre o Twitter no Brasil – pesquisa realizada pela agência Bullet realizada em abril com mais de 3.200 pessoas e com participação ativa dos próprios “tuiteiros” – que replicaram 300 vezes a divulgação, estimulando as pessoas a participarem desta pesquisa. Comunicação via twitter

Segundo Bruna Calheiros (a @baunilha, para os conhecedores da blogosfera brasileira), responsável pela área de Presença Digital da agência, dois pontos foram relevantes nesta pesquisa:

  • As pessoas confiam muito nas outras pessoas no twitter- 97% das pessoas que usam o microblogging clicam nos links apresentados por lá e 86,9% confiam na opinião das outras pessoas no twitter – mesmo sendo pessoas que eles não conhecem, de fato, muito.
  • As pessoas têm interesse (SIM) em seguir perfil de empresas, eventos, ou de campanhas publicitárias no twitter e mais, não vêem com mal olhos a publicidade nesta ferramenta.  69,4% já fazem isso (seguir perfil de empresas) e 53,6% acham interessante a publicidade desde que segmentada e com relevância – onde o consumidor deve definir se quer seguir esta publicidade.

Publicidade no twitter

Esta pesquisa foi bem interessante por diversos fatores, principalmente porque agora podemos conhecer de fato o perfil das pessoas que estão lá, o que fazem e o que querem  (ou pretendem ) ao utilizar a ferramenta e o cenário em que estas pessoas estão inseridas.

Apesar do boom de novos visitantes no primeiro semestre de 2009 – onde cerca de 19 milhões de pessoas estiveram no Twitter no mundo – segundo a pesquisa, o número de pessoas no Brasil usuários da ferramenta são basicamente jovens entre 21 e 30 anos (65,1%)  com ensino superior (37,6%) e heavy-users (ou seja, passam mais de 50 horas semanais na Internet) – informação comprovada pelo fato de, por exemplo, 58,7% possuirem um blog.

Fins do twitter ferramentas na net

Assim como outras redes sociais como Orkut, que possui uma grande aceitação entre o público brasileiro e tem um processo próprio e bem conhecido de uso e publicidade nele (incluindo as áreas de publicidades disponibilizada no site),

agora temos dados que podem nos apresentar formas para usar e comunicar (publicidade) nesta ferramenta.

É importante ressaltar porém, que apesar de ter uma aceitação por parte do público usuário em propagandas, não é qualquer empresa que pode ir criando seu perfil no twitter. Como apresentamos, esta rede tem um perfil próprio de usuário e também solicita ao perfil corporativo estar disposto a permanecer continuamente em contato com o seu publico, apresentando novidades, dicas, respondendo dúvidas, bem como analisando criticas e considerações das pessoas.

As redes sociais atualmente estão entregando o poder do conteúdo para o  público e não mais para empresas e insitituições diversas.

Sugerimos entrarem no link da pesquisa e caso tenham algum comentário ou consideração, estejam à vontade para prosear,ok?

Abraços e afagos