Premiação da Comunicação Regional – Tubal Siqueira 2009

22 06 2009

Olá pessoal tudo joia?

Como apresentamos anteriormente o short-list do Prêmio Tubal Siqueira, na última quinta-feira tivemos uma grandiosa festa para apresentar os ganhadores desta 4ª edição. Festa essa que contou com a apresentação de Zeca Camargo e Rachel Raipani da novela Caras e Bocas.

O júri esse ano foi formado por:

  • André Regnier, diretor de arte e supervisor de criação da Central Globo de Comunicação,
  • Edmundo Bravo, diretor de criação da ASA Comunicação, em BH,
  • Beto Moreira, diretor da divisão de conteúdo da produtora Casa das Máquinas em Campinas,
  • Heraldo Bighetti, chefe do departamento de Criação e Produção da ESPM e
  • Rodrigo Zuccolotto – Gerente de relacionamento da Central Globo de afiliadas e licenciamento.

Iniciou a premiação com a categoria estudantes tanto de rádio quanto de vídeo, sendo os ganhadores foram de Juiz de Fora – MG (apesar de equipes diferentes)sendo respectivamente com o titulo do spot de “O Último Suspiro” e para o vt, o título de Vício (veja o vídeo abaixo). Esse foi um caso a parte, pois a entrega do prêmio para esta galera, a emoção que tiveram ao receber o prêmio e, além disso, saber que este mesmo vídeo será usado como institucional pela própria Rede Integração, foi o incrível.

Já no âmbito profissional a grande campeã foi a agência DIFERi – Comunicação de Impacto e as peças feitas nas categorias Spot, Mercado e Varejo para a Curinga Veiculos.

Spot – Aguarde que logo posto aqui.

Mercado – Vt Curinga 10 anos

Varejo – Vt ETs

O Grand Prix e a categoria Campanha ficou por conta da Formula P com o que foi feito para Lista Sabe – Vt  Perua | Encanador | Paraguaio

Ainda teve os destaques regionais, que merecem também os merecidos aplausos:

Regional Uberaba e Ituiutaba – Agência Sic com o trabalho para a SAE “Uso Racional”.

Regional Araxá/Divinópilis foi para a PRP Marketing e Comunicação de Araxá com o filme “Pão Duro 02” ( Clique aqui para ver.).

Regional Patos de Minas/Uberlândia saiu para a Ovni Propaganda com a “Feijoada Cult”. Diga-se de passagem um belo vt com alta criatividade, muito elogiado pelo público da premiação.

RegionalJuiz de Fora a agência Tropico Propaganda com o Vt para a Drogaria Dia e Noite “Índios

Aos vencedores nossos sinceros parabéns e esperamos reencontrá-los (bem como encontrar e conhecer publicitários da região tão talentosos como estes ) na edição de 2010. Agora vamos para as fotinhas

[Espaço reservado para um leve jabá, afinal a autora deste post é  Atendimento da DIFERi e a Curinga Veículos foi a 1ª conta que ela atendeu por lá,ok? Esforço de todos que valeu a pena e foi merecido. ;)]:

Equipe DIFERi com Apresentadores

Equipe DIFERi e Curinga Veiculos com Apresentadores

Equipe DIFERi recebendo um dos prêmios no palco

Equipe DIFERi recebendo um dos prêmios no palco

Equipe DIFERi (incluindo ex-membro atuante na campanha Gustavo) comemorando as conquistas

Equipe DIFERi (incluindo ex-membro atuante na campanha Gustavo) comemorando as conquistas

Aproveitamos a oportunidade para informar e solicitar que, caso alguém tenha fotos dos outros ganhadores, favor nos comunicar, passar link ou enviar que postaremos aqui com o maior prazer.

E  fazer um agradecimento especial ao site Barril de Idéias do querido Gustavo Patrício. Tentar buscar informações nos sites oficiais nem sempre são boas idéias, é por isso que existem blogs bons e atualizados como o seu para nos ajudar !

Abraços e afagos

Anúncios




Um Empreendedor pode ser – também – um empregado?

16 06 2009

Olá pessoal, tudo joia?

Começaremos o post da Prosa Profissional com uma indagação bastante interessante: Um Empreeendedor pode ser – também – um empregado? Antes de prosseguir com a leitura deste texto, pare e pense um pouco a respeito.

topo2

empregado

Pensou?

Então, esta pergunta é uma das matérias da revista Pequenas Empresas Grandes Negoócios deste mês (que aconselhamos muito você correr até a próxima banca e lê-la), e antes que você responda rapidamente um sonoro Não,  pense em exemplos como Luciano Huck, Marcelo Tas, ou ainda aquele empresário bem sucedido que você conhece que insiste – mesmo você não sabendo por que – em ser professor em faculdade.

O que eles têm em comum?

São empreendedores e empregados.

Bem, não precisamos dizer que o Luciano, o Tas e este empresário não têm necessidade nenhuma de terem a carteira assinada por qualquer empresa que seja, pois o retorno (em todos os sentidos) alcançado pelo esforço e liderança próprios,  já seriam mais que suficientes para viverem apenas disso.  Então o que leva pessoas como eles a terem esta dupla jornada, quando a maioria das pessoas pensam em focar apenas em um dos lados?

Engana-se quem acha esta situação rara, só nos Estados Unidos cerca de 47% dos empreendedores não possuem o negócio próprio como principal fonte de renda. Mas a questão financeira não é o ponto principal para levar uma pessoa a agir assim.

Fatores como segurança, satisfação pessoal (também chamada na língua dos empreendedores como paixão), possibilidade de planejar e atuar com maior prudência (e de forma minusciosa) nos projetos, bem como ampliar e manter atualizado o networking e, consequentemente as possibilidades de novos negócios, são levados em conta neste tipo de escolha.

Afinal, a carteira assinada permite que você sempre conheça e mantenha contato com diversas pessoas – que muitas vezes podem ser também seus clientes/parceiros no seu negócio, e também permite que você planeje de foma mais detalhada e segura os passos do seu empreendimento, já que não se tem a urgência – que acontece em muitos casos – de abrir um negócio para sua sobrevivência.

Antes que pensem que tudo são flores, podemos imaginar que esta dupla jornada não é nada fácil. Não chegamos a conversar com nenhum dos exemplos dados aqui (Luciano Huck e Marcelo Tas), mas imagine o que é ajudar a coordenar e ancorar semanalmente um dos melhores programas de jornalismo-humoristico do país (CQC) , estar totalmente atenado ao que ocorre no mundo e no país para publicar diariamente em seu blog e em seu twitter – sabendo que sua opinião é amplamente difundida, lida, discutida e criticada por toda internet [alguém lembra aí do famigerado case  “Telefônica no twitter do Tas”?], isso quando não tem palestras, visitas para fazer nos diversos cantos do país e também os vários convites para atuações e participações em ações teatrais – como os famosos stand-up comedy.

marcelotas2

Marcelo Tas é o rapaz mais seguido pelo twitter no país (90.637 seguidores contabilizados no dia de hoje), está na blogosfera desde 2003 – ou seja, muito antes desse boom do mundo online, proliferação de blogs e tudo mais (e o melhor,vivia disso). Por isso considerado por muitos um profissional polivante e empreendedor  de sucesso na internet, e poderia muito bem, como fez por algum tempo, não estar na Tv com acontece atualmente. No caso dele, um dos fatores primordiais dessa dupla jornada chama-se paixão.

É também o que move um dos personagens da reportagem da revista, Márcio Siqueira de 36 anos que é sócio proprietário de um escritório de contabilidade e também é supervisor administrativo financeiro de um shopping da cidade de Ribeirão Preto – SP. O lado empresário de Siqueira, para se ter uma idéia, inicia-se diariamente às 5 da manhã e vai até às 9h – quando assume o lado empregado de supervisor – e logo após o horário comercial e também, quando necessário, nos fins de semanas e feriados – retoma-se o lado empresário, resolvendo pendências e planejando os próximos passos da empresa.

Como se pode perceber, é possivel sim ser empreendedor e empregado, porém não é fácil. Cabe ao profissional cuidar muito bem destes dois papéis de forma que as responsabilidades que cada um exige não desequilibre sua carreira por completo.

Pense nisso.

Abraços e afagos






Ampliando a sua visão sustentável

29 05 2009

Olá pessoal, tudo jóia?

Aproveitando que iniciamos a semana falando de sustentabilidade na comunicação, fui pesquisar a respeito do assunto também na área de business e carreira. Exemplos de empresas que se voltam (ou que estão se voltando) para este assunto estão crescendo progressivamente, pois o que era anteriormente um diferencial, agora ela se tornou essencial.

E não estamos falando Apenas no quesito “verde”, ecológico da coisa… Sustentabilidade vai muito além disso.

Atualmente criou-se um tripé base para que uma empresa, pessoas e projetos possa se denominar sustentável, também chamado de triple bottom linepeople, planet and profit (pessoas, planeta e lucro – em português), ou para ser mais claro, como está a atuação da empresa/projeto/pessoa em termos sociais, ambientais e econômicos. E justamente por ser um assunto complexo e vasto, busquei exemplos de empresas/projetos que  possibilitam visualizar de maneiras diferentes este tripé.

O primeiro projeto que me chamou muita a atenção respeito chama-se Coletivu – é uma rede social cujo objetivo é criar e organizar caronas. Simples assim.

Assim como em outros projetos e em outras empresas, o tripé se apresenta interrelacionados e interdependentes, pois através das pessoas, o Coletivu cria os grupos de interesse (trabalho, eventos, viagens) onde encontramos outras pessoas  que fazem (ou irão fazer) o mesmo percurso que você e estão com o carro vazio.

Através dessa rede social de carona, temos aquela famosa equação em prol docoletivu planeta: menos carro nas ruas = menos uso de combustível = menos poluição = maior cuidado com o meio ambiente, e também o fato de ser algo puramente online  que economiza toda aquela “mão de obra” de processos e materiais para organizar este objetivo. O lucro – que é algo fundamental para qualquer empresa/projeto Literalmente se sustentar – vem das parcerias com empresas e também com o custo que é cobrado para grupos acima de 50 pessoas. Apesar da idéia não estar muito difundida no Brasil, em outros países este sistema já funciona.

Atrelado a este tripé, temos um outro trio de desafios que segundo especialistas, se torna essencial para que a sustentabilidade se torne a diferença numa empresa. São eles:

– Engajar os stakeholders
– Transformar em valor agregado
– Buscar isso na cadeia produtiva em que você está inserido

Para entender estes desafios e seu uso na prática, apresento-lhes o case mais clássico: Banco Real.

Da mesma forma que ocorre no outro tripé, neste também temos os itens se co-relacionando, pois é através do engajamento dos stakeholders (que são todos os públicos envolvidos e afetados pela empresa) – que o Banco Real (por exemplo) pode solicitar e até exigir critérios sustentáveis nas suas parcerias e nas suas relações B2B (business – to – business) dentro da sua cadeia produtiva (vide imagem abaixo).  E disso, o Banco é bem conhecido – se existe algum membro da cadeia produtiva que não pratica a sustentabilidade de forma criteriosa, tem grandes possibilidade de não ter o banco como cliente/parceiro.

Relação sustentavel Banco Real

O último desafio vem como consequência da atuação eficaz dos outros desafios, e comprova que esta co-relaçãoexiste e precisa estar naessência das empresas, como podemos ver na definição abaixo:

“Marca significa uma cultura e dinâmica de relações entre empresa/produto e a sua comunidade, que cria valor para todos os integrantes do ecossistema.”

Espero que este post tenha contribuído de alguma forma para seu conhecimento e que também, lhe proporcione atuações diferenciadas e sustentáveis no seu meio a partir de agora.

Beijos e afagos

[Fonte: ResultON, Slides e detalhes case Banco Real de Maria Camila Giannella – Thymus no ResultsON Day]





Para aqueles que nunca deixaram a sua criança desaparecer : Empreendedores

21 05 2009

Apresento-lhes a nova Categoria deste blog: Prosa Profissional – onde falaremos sobre tudo que envolve o mundo da carreira, dos negócios, do mercado e afins.  Mais um espaço para a prosa rolar solta e com qualidade profissional.

Para começar, vejam um video que está no blog de Fábio Seixas, empresário, empreendedor e sócio-fundador do Camiseteria (se você por acaso não conhece a empresa e o projeto, vale muito a pena conhecê-lo – Puro Empreendedorismo Online/Offline rsrs).

O Assunto: ” Empreendedorismo – literalmente algo de criança grande“.  Se caso você arrepiou ao vê-lo, você tem grandes chances de ser sim, uma criança grande.

Abraços, afagos e bom aproveito.